Verminda
invasões do norte

 

Amanhã será o grande dia! O negrume nos separa do inimigo que nunca dorme. Conseguimos nos aproximar dele como nunca imaginamos que seria possível. O que os demônios estarão fazendo? Nossos batedores não viram nenhuma fogueira acesa... Estão lá. Sim! Daqui podemos sentir o cheiro nauseabundo que sua maldade exala... Verminda! Teus campos resistem à maldição que pisa e destrói a vida que nasce de ti.

A noite longa esconde a armadilha que preparamos. Procuramos manter silêncio com o triste receio de que as batidas dos nossos corações possam nos delatar... O que se respira nos acampamentos é terror. Ninguém se preocupa em esconder a tristeza que governa. Milhares de almas recém confessas, puras de pecado resistem ao sono, imaginando o pesadelo que a luz do novo dia libertará. Que melhor benção que o martírio pode receber um homem sensato numa era em que o Mal transformou todo sofrimento em lei?

Ó Verminda, terra esverdeada de campos férteis! Somos apenas homens tentando sobreviver. O tempo se esgota... Ó rica terra presente do Altíssimo, ignora meu lamento! Testemunha solitária, quantos corajosos guerreiros verás entregar seus nobres espíritos nesta interminável guerra contra os inimigos de Deus?

Amanhã nossas armas falarão alto. Berrarão frases de ódio e vingança. Com uma oração no pensamento investiremos contra a fonte de todo pecado. Enquanto enfrentamos a maldição que ameaça este mundo formoso, ó Verminda, olhai para nós como uma mãe. Estende teus braços calorosos, tenros, para nos receber, para nos fazer sentir amados quando o fim nos alcançar...
Amanhã, mãe santa, sangue heróico fecundará teu ventre. Amanhã, não chores por nós. Sorri pelo destino glorioso dos filhos de Hemakiel que cairemos invocando a morte para resguardar a vida!

Filhos de Hemakiel©